Skip to main content
Documentário uruguaio reconta a derrota brasileira na final da Copa de 1950
"Maracanazo"

Documentário uruguaio reconta a derrota brasileira na final da Copa de 1950

enviado por EBC
Documentário uruguaio reconta a derrota brasileira na final da Copa de 1950

Tragédia para brasileiros e façanha para uruguaios, o “Maracanazo” da Copa do Mundo de 1950 será recontado no documentário “Maracanã”, com pré-estreia marcada para esta quarta-feira, às 20h30 (horário de Montevidéu), no estádio Centenário. A produção, assinada pelos diretores Sebastián Bednarik e Andrés Varela, é baseada no livro “Maracanã, a história secreta” (tradução livre) do historiador uruguaio Atilio Garrido, e lança um novo olhar sobre um dos jogos mais marcantes da história do futebol.

O filme traz imagens inéditas, algumas encontradas em um arquivo uruguaio e outras cedidas por um ex-árbitro que apitou o Mundial. Estas imagens passaram por um processo de restauração e digitalização, e aparecem na película em alta resolução. Além de resgatar entrevistas com os protagonistas da vitória do Uruguai em cima do Brasil na final da Copa de 50, o filme traz análises de historiadores e pesquisadores como Boris Fausto, João Máximo, Gerardo Caetano e Eduardo Galeano.

“Maracanã” não conta apenas a história daquele 16 de julho de 1950, mas detalha o processo até a grande decisão entre Brasil e Uruguai. O documentário recorda os 20 anos antes da primeira Copa no Brasil, o primeiro título do Uruguai, as Copas do Mundo que aconteceram sob influência fascista, o longo período sem o campeonato, por conta da Segunda Guerra Mundial, os preparativos para que o Brasil sediasse o torneio e como a derrota em casa mexeu com o país.

Os bastidores da seleção brasileira e a pressão para ser campeão diante de um Maracanã com 200 mil torcedores também são retratados no filme. A película cita aspectos como o contexto político do ano eleitoral, com um virtual título mundial impulsionando a candidatura dos presidenciáveis e discursos como o do prefeito do Rio de Janeiro, Mendes de Morais, que afirmou que “havia construído um estádio para o Brasil, então eles deveriam sair campeões do mundo”.

Por fim, o documentário contrapõe os caminhos que as seleções brasileira e uruguaia tomaram a partir do “Maracanazo”: enquanto o time verde e amarelo “fez uma leitura muito proveitosa do fracasso”, a celeste continuou celebrando a histórica vitória “infinitamente”. Hoje, o Brasil é pentacampeão mundial, enquanto o Uruguai só foi campeão duas vezes, tendo levantado a última taça justamente em 1950.

Maracaná

A pré-estreia do filme acontece no estádio construído para a Copa de 1930, com um grande telão montado no meio do campo. Os ingressos para a sessão inaugural foram esgotados. Além da exibição do documentário, os espectadores poderão ver de perto uma réplica do avião que levou os campeões de 50 de volta para casa. O filme está previsto para estrear nos cinemas uruguaios no dia 27 de março.

*com informações do Montevideo Portal

Publicidade

Opiniões